Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
CRISE - Conselho de Ética arquiva pedido de inegibilidade de Andrés e gera indignação
16/07/2021 10:53 em Novidades

A decisão da Comissão de Ética e Disciplina do Conselho Deliberativo do Corinthians que arquivou, na terça-feira (13), o pedido de tornar o ex-presidente Andrés Sanchez inelegível por dez anos, gerou indignação de boa parte dos conselheiros do clube.

O pedido foi baseado na reprovação das contas do clube no ano de 2019, quando Andrés era presidente.

A comissão entendeu que a solicitação não era cabível pelo fato do ex-presidente não estar mais no cargo.

O relator da casa , Carlos Alberto Elias foi a favor do arquivamento do pedido e o restante dos membros acataram a decisão votando a favor de Andrés.

O órgão de ética corinthiano tem como presidente André Luiz de Oliveira, amigo de Sanchez.

Os conselheiros que apresentaram o pedido de Assembleia Geral para afastar o ex-presidente, podem recorrer contra o arquivamento.

Para o vitalício Fran Papaiordanou, não houve direito de debate sobre o tema e a decisão foi arbitrária.

- É um absurdo ! Arquivaram como se eles fossem donos do clube, disse Fran

O jurista Miguel Marques entende que é preciso recorrer da decisão e se for o caso, “ajuizar uma ação”.

Segundo o artigo 89 do estatuto do clube , que define as atribuições do Conselho de Ética a função da mesa é “conhecer, instruir e relatar processos disciplinares relativos aos membros do próprio CD (Conselho Deliberativo), do Conselho Fiscal, podendo, para tanto, colher provas, tomar depoimentos e solicitar informações de todos os poderes do CORINTHIANS”

Romeu Tuma Jr. afirma que, como conselheiro, não foi notificado e que soube da decisão apenas pela imprensa. Tuma explica também que baseado no arq.89 a Comissão de Ética não tem poder para julgar, vetar, muito menos arquivar a solicitação. “Onde está escrito que lhes cabe julgar? “ questionou indignado o vitalício, também favorável a recorrer da decisão.

COMENTÁRIOS